Invista em uma carreira instigante e promissora

Já pensou em seguir a carreira de professor? Nós da UPF temos uma tradição de mais de 60 anos na formação docente e somos a única universidade do norte gaúcho que oferta 12 cursos de licenciatura. Nós assumimos compromisso com a formação docente, por isso, queremos apresentar bons motivos para você investir nessa carreira.

1.    Faltam professores!

A profissão de professor,  que é  essencial e estratégica, está carente de profissionais. Na contramão da falta de professores, os resultados do censo escolar brasileiro de 2016 indicam que o Brasil tem, hoje, 48,8 milhões de alunos matriculados na educação básica.  O mercado de trabalho é, portanto, bastante promissor.

2.    Você paga somente metade da mensalidade

A UPF oferece a gratuidade de 50% para cursos de licenciatura por meio do Programa de Bolsa FUPF (lei nº 12.101/09). O programa é regido por edital. Neste vestibular, o benefício está previsto para os seguintes cursos de licenciatura no Campus Passo Fundo: Artes Visuais (L); Educação Física (L); Filosofia (L); Física (L); Geografia (L); História (L); Letras - Português e Espanhol (L); Letras - Português e Inglês (L); Matemática (L); Música (L); Pedagogia (L); Química (L); Campus Carazinho: Pedagogia (L); Campus Lagoa Vermelha: Pedagogia (L); Campus Soledade: Educação Física (L) e Pedagogia (L).

3.    Você não precisa pagar inscrição para o vestibular

No Vestibular UPF, os candidatos que fazem prova para cursos de licenciatura têm gratuidade na inscrição.

4.    Educação Física: cultivo da saúde e qualidade de vida

O curso proporciona a construção de sólidos conhecimentos, desenvolvendo as habilidades necessárias à formação de um profissional qualificado para atuar na educação básica. Trata a cultura corporal humana sob a ótica pedagógica em instituições de ensino públicas e privadas. O licenciado em Educação Física é habilitado para intervir no contexto escolar, contribuindo com o desenvolvimento da cultura e o cultivo da saúde e qualidade de vida por meio do conjunto das ações técnicas e científicas relacionadas à área.

5.    História: um universo de possibilidades

Na licenciatura, além da formação vinculada aos períodos históricos, os acadêmicos trabalham com questões relativas aos direitos humanos, à história e à cultura dos povos africanos e indígenas, questão de gênero, educação ambiental e relações étnico-raciais, entre outros. Esses temas são transversalizados ao longo do curso de graduação. No mercado de trabalho, o profissional também pode atuar em museus, arquivos e centros culturais; prestar assessoria e consultoria a instituições públicas e privadas na organização de eventos histórico-culturais; atuar na coleta e na revisão de informações para publicações, exposições e meios de comunicação social; fomentar projetos e práticas ligadas à gestão e à preservação do patrimônio histórico. Os campos de atuação extrapolam, portanto, a rede básica de ensino e contemplam também arquivos, museus, casas de cultura, memoriais, redes de comunicação, órgãos públicos, setores culturais, órgãos e empresas voltados à políticas culturais e patrimoniais.

6. Letras: atuação além do ensino regular

O licenciado em Letras tem um amplo mercado de trabalho. Além do ensino regular, no ensino fundamental e médio, o licenciado pode atuar em cursos livres de línguas, em cursos pré-vestibulares e em cursos técnicos e preparatórios para concursos. Em instituições de ensino superior e de pesquisa, podem trabalhar como revisores, críticos literários, roteiristas, resenhistas ou em organizações não governamentais.  Estão aptos, ainda, a exercer funções como escritores, tradutores, entre outras atividades.

O licenciado em Letras é capaz de refletir teoricamente sobre a linguagem , de fazer uso de novas tecnologias e de compreender sua formação profissional como processo contínuo, autônomo e permanente, no qual a pesquisa e a extensão, além do ensino, estão articuladas. A atuação social e profissional tem como pano de fundo o fato de que a construção da consciência de cidadania se dá, em grande parte, pela utilização qualificada dos recursos da língua oral e escrita. 

7.    Pedagogia: espaços ampliados

A demanda por profissionais graduados em Pedagogia é crescente em razão das políticas públicas sobre a universalização e a ampliação do acesso à escola, especialmente na Educação Infantil. O mercado de trabalho inclui a docência em escolas de Educação Infantil, Ensino Fundamental (anos iniciais, incluindo Educação de Jovens e Adultos), e Ensino Médio (modalidade Normal). Egressos também podem atuar em cursos de Educação Profissional na área de Serviços e Apoio Escolar; em espaços não escolares, nos quais sejam previstos conhecimentos pedagógicos e em gestão educacional.

Há que se destacar ainda o trabalho do pedagogo em processos educativos que contribuam para a humanização dos sujeitos, na educação integral, na educação em direitos humanos, nos movimentos sociais, nas comunidades indígenas, nas empresas, ONGs, enfim, onde a intervenção pedagógica for necessária para qualificar a formação.
Na UPF, o curso de Pedagogia (nos campi Passo Fundo e Carazinho) alcançou, na última avaliação do MEC, o CPC 4, num rol máximo de 5.

8. Física: capacitação além da educação básica

A procura por profissionais licenciados em Física ocorre em todo o país. A obrigatoriedade da disciplina de Física se dá na última série do ensino fundamental e em todo ensino médio. Na UPF, o curso capacita professores para educação básica e também realiza pesquisas na área de ensino, robótica e astronomia.

9. Geografia: rápida inserção no mercado de trabalho

O curso de Licenciatura em Geografia da Universidade de Passo Fundo tem como objetivo a formação de profissionais voltados ao desempenho das tarefas ligadas a educação, como a docência no Ensino Fundamental e Ensino Médio, a pesquisa científica e a gestão educacional. A demanda por professores de Geografia é constante e crescente em toda a região, possibilitando aos egressos do curso uma rápida inserção no mercado de trabalho.
Com um currículo moderno e atualizado, o Curso de Geografia cumpre com os requisitos legais e aponta para a excelência acadêmica, conquistando o conceito 5 (máximo) no último Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (Enade).
Assim, o curso de Geografia contribui há mais de 40 anos com a formação de professores para atuação, qualificação e transformação da realidade educacional em âmbito local e regional.

 

10. Matemática: linguagem do mundo

O curso de Matemática – Licenciatura, há mais de 40 anos habilita professores para atuar nos anos finais do Ensino Fundamental e no Ensino Médio. Busca oferecer uma sólida formação cientifica na área específica, uma sólida formação pedagógica, humana e cultural. Para isso, são desenvolvidas iniciativas nas áreas de ensino, pesquisa e extensão, procurando preparar integralmente o profissional para o mercado de trabalho. 
O egresso, por meio de mestrado, doutorado e pós-doutorado, também tem a possibilidade de atuar como pesquisador e professor universitário. 

11. Filosofia: múltiplas possibilidades

Curso com 60 anos de tradição, conta com professores qualificados atuantes na pesquisa e na extensão, o que proporciona o acesso às bolsas de iniciação científica, iniciação à docência e programas extensionistas. O curso proporciona o estudo de temas e problemas estruturantes da tradição filosófica desde de antiguidade até nossos dias como ética, política, estética, religião, lógica, direito, mente, ensino de filosofia, dentre outros. Depois de formado é possível dar continuidade aos estudos em cursos de mestrado e doutorado; ser professor na educação básica e superior; participar de comitês de ética; atuar na gestão de instituições de ensino; ser palestrante e escritor. 

12. Professores têm garantido o pagamento do piso salarial nacional

Os professores têm assegurado, por lei, o pagamento do piso nacional do magistério para jornadas de 40 horas semanais. Isso significa que União, estados, Distrito Federal e municípios não podem fixar vencimento inicial das carreiras do magistério abaixo desse patamar. A lei passou a vigorar em 1º de janeiro de 2009, de forma progressiva e proporcional. O Ministério da Educação (MEC) definiu em R$ 2.298,80 o valor do piso nacional do magistério para 2017, um aumento de 7,64% em relação a 2016.

13.    Você pode conseguir uma bolsa de Iniciação à docência

Inovações metodológicas, inserção na realidade cotidiana da escola, formação continuada e qualificação constante. Essa é a proposta do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência (Pibid), ligado à Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), em parceria com as instituições de ensino superior do país. Na UPF, o programa envolve todos os cursos de licenciatura.
O Pibid é uma proposta baseada na oferta de bolsas de incentivo aos licenciandos e professores de licenciatura e supervisores das escolas conveniadas: ao se tornar bolsista do Programa, o licenciando passa a fazer parte de uma rede de estudos sob coordenação de um professor da Universidade, com o propósito de aprofundar as pesquisas acerca do objeto de estudo específico da sua área e das metodologias de ensino e aprendizagem, as quais serão postas em prática nas escolas conveniadas, sob a condução de um professor da rede pública, o supervisor do Programa.

14.    Bolsas para projetos de pesquisa e extensão

Por meio da oferta de bolsas para projetos de pesquisa e extensão, a UPF incentiva seus alunos a buscarem o aprendizado de técnicas e métodos científicos, o envolvimento com ações educativas, sociais e culturais e a interação com a comunidade. No âmbito da iniciação científica, a UPF participa de três programas: o Pibic UPF, o Pibic CNPq e o Probic Fapergs. Além desses, a UPF possui bolsistas no Programa de Voluntários de Iniciação Científica (Pivic).
Já as bolsas do Programa de Apoio Institucional a Discentes de Extensão e Assuntos Comunitários (Paidex) são destinadas a alunos vinculados a projetos de extensão da Universidade. 

15.    Formação acadêmica e melhoria da educação básica

O Plano Nacional de Formação de Professores de Educação Básica (Parfor) é uma ação organizada e financiada pela Capes e visa atender aos objetivos da Política Nacional de Formação dos Profissionais do Magistério da Educação Básica. O objetivo principal do Parfor é garantir aos professores em exercício na rede pública de educação básica uma formação acadêmica exigida pela Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional, bem como promover a melhoria da qualidade da Educação Básica.
Em 2010, a UPF firmou um convênio com a Capes, o que possibilitou a oferta de Cursos de Primeira Licenciatura que atendam ao Programa. Desde lá, a UPF oferece o curso de Pedagogia, em regime especial.